A advocacia criminal está aqui para auxiliá-lo, dentre outras formas, a lidar com situações em que sua conduta foi interpretada de forma equivocada, bem como naquelas onde houve um excesso no uso do poder de denúncia.
Isto porque o processo criminal traz, consuetudinariamente, histórias trágicas, tanto da vítima quanto do acusado, que passa a enfrentar uma oposição da sociedade, em virtude da não compreensão dos atos dele.
É equivocado ter em mente que o advogado criminalista tem como objetivo conseguir a liberdade de pessoas que a polícia se esforçou para prender, ou que apenas auxiliam criminosos a saírem impunes de seus atos.
O defensor não está aqui para abrir as portas da penitenciária para seus assistidos, até porque ele não tem esse poder e atua em conjunto com o Ministério Público e com o Magistrado, todos com o escopo de realizarem bem suas incumbências.
A função primordial do advogado é auxiliar, desde o pai que tem o filho preso até o confesso que recebeu uma pena demasiadamente severa, a lidar, tanto no ambiente jurídico quanto pessoal, com aquele desconforto.
O atendimento personalíssimo e individualizado disponibilizado garante ao cliente o conforto, a segurança e a discrição necessária para tratar de assuntos que exigem, além da boa técnica, compreensão, orientação e sigilo, para auxiliá-lo na travessia da dor e no desenrolar da persecução criminal, desde o inquérito policial até o fim da ação penal.